Araruna-PB, Domingo, 30 de Abril de 2017
Publicidade
Sexo e Relacionamento
21 de Dezembro de 2016 ás 00:11h
Sexo oral, posições: pesquisa releva preferências na hora de transar

Em uma entrevista realizada em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre foram entrevistados 387 homens e mulheres heterossexuais entre 18 e 45 anos. As perguntas feitas diziam respeito ao que cada um fazia antes e durante o "trabalhos".

Confira o resultado:

Uma boa preliminar é…

Para 94% das mulheres, é essencial para uma boa transa. Entre eles, 90% garantem não abrir mão das preliminares. Para 10% deles, as carícias iniciais são mais importantes para suas parceiras. Enquanto apenas 3% delas acreditam ser mais importante para os homens.

“Surpreendente a sintonia de opiniões sobre a importância das preliminares. Há um mito de que eles são apressadinhos, talvez baseado no medo que têm de perder a ereção. Quem deve ter engrossado essa parcela foram os mais jovens, que hoje são mais abertos e preocupados com o prazer da parceira”, analisa Carmita Abdo, psiquiatra e coordenadora do Projeto Sexualidade da USP.

O que te deixa excitado?

Para os homens o fato de ver a parceira excitada ajuda ao próprio orgasmo: 86%. Já para as mulheres, 56% dizem ficar excitadas ao ver os parceiros excitados. Como alguns dizem, os ouvidos das moças são mesmo importantes, pois 32% diz ficar excitada ao ouvir palavras eróticas contra apenas 12% deles.

Por fim, assistir filmes eróticos é importante para 12% das mulheres contra 3% dos homens. “O interesse feminino pelos filmes pornôs ser maior que o masculino é novidade. Elas estão assumindo práticas que antes eram exclusivas deles. Os rapazes tinham os primeiros estímulos sexuais na masturbação e na pornografia, que não são mais tão valorizadas porque o acesso ao próprio sexo acontece cada vez mais cedo. Já para elas, o pornô é um mundo novo se abrindo, inclusive porque estão mais acostumadas a ver o pênis com naturalidade, sem tabu. E ainda existe todo um mercado crescente de produções voltadas para as garotas”, comenta Carmita.

A frequência ideal é…

Duas vezes por semana é o que dizem 67% delas e 52% deles. Logo depois, vem todos os dias para 26% das mulheres contra 44% dos homens. “A frequência sexual ideal é diferente daquela que é idealizada, sonhada. Por isso, considero duas vezes por semana uma ótima média. Nem sempre a rotina e o próprio relacionamento permitem que os casais tenham disposição para o sexo. Observe que o percentual de rapazes que escolheu a alternativa ‘todos os dias’ é bem mais expressivo que o delas. É uma questão de autoafirmação para eles dizerem que conseguem transar diariamente, que estão sempre à disposição da parceira”, analisa Amaury Mendes Júnior, professor do Ambulatório de Sexologia da UFRJ.

Como gosta de transar?

À meia-luz: Mulheres: 85% Homens: 70%

Se vendo no espelho

Mulheres: 8% Homens: 11%

Com a luz acesa

Mulheres: 7% Homens: 19%

“A coisa narcisista, de transar com luz acesa e se olhando no espelho, é típica dos homens, que são mais visuais. Mulheres gostam de penumbra porque é no escurinho que elas se permitem e se soltam mais”, pontua Carmita.

Você faz sexo oral?

Ao contrário do que a pesquisa recém divulgada por aqui (de que 43% dos homens tem nojo de fazer sexo oral nas parceiras), nessa 86% deles dizem que sempre fazem sexo oral contra 69% das moças. Entre elas, 22% dizem só praticar sexo oral quando o parceiro pede contra 10% dos homens.

Na lei do ‘faça para ganhar’, 9% das mulheres admitem só fazer sexo oral no parceiro após ter recebido. Entre eles, 4% garantem só agradar se for agradado antes. “Sexo oral não é mais tabu para as mulheres. Muitas o oferecem como alternativa ao parceiro: se por algum motivo elas querem evitar a penetração, resolvem com um bom oral. Apesar do resultado favorável, os homens têm ressalvas. Muitos mentem ao dizer que sempre fazem. Já ouvi paciente contar que não faz oral na mulher no primeiro encontro”, acredita a psiquiatra.

Qual posição sexual você mais gosta?

A preferida entre os dois sexos é a posição de quatro. A clássica papai e mamãe é a queridinha de 32% das mulheres contra apenas 12% dos rapazes. Já o 69 agrada 6% dos homens contra apenas 3% das moças.

“A mulher se excita ao sentir-se dominada na cama e os homens ficam estimulados com a visão ampla do sexo feminino à disposição. Daí o consenso na posição ‘de quatro’ como o preferido entre eles. Alguns homens precisam tanto desse papel de ‘dominador’ que chegam a broxar quando a parceira está por cima. Porque nessa posição é quase como se tivessem sendo ‘penetrados’ pela mulher”, afirma Amaury.

Como é ser tocado lá atrás?

Com jeitinho pode ser bom - Mulheres: 41%. Homens: 27%

Excitante - Mulheres: 24%. Homens: 11%

Um pouco tenso - Mulheres: 23%. Homens: 15%

Não quero nem pensar nisso! - Mulheres: 12%. Homens: 47%

“Excitação anal segue como o maior dos tabus entre os homens heterossexuais. Uma minoria, com certeza os mais jovens, está mais aberta para essa prática e surpreendentemente a assume. Mas a quantidade dos que não querem ‘nem pensar nisso’ é quatro vezes maior que a de mulheres. A rejeição feminina também é bem significativa: mais de 10%. Não é pouca coisa! Muitas mulheres não se permitem explorar essa forma de prazer e se sentem até ofendidas e desvalorizadas quando o parceiro a requisita”, pontua Carmita.

Qual sua maior fantasia?

Os homens deliram por um sexo a três (64%) enquanto a preferência das mulheres é pela transa em local público (42%). A prática do swing figura em 10% deles contra 9% delas.

Fonte: Com informações de Feminino e Além

O que você achou desta notícia?
bom Gostei ruim Não Gostei
Gostei 0
Não Gostei 0
Por:
Link:
Comentários ()
© 2011 - 2017 - Araruna1.com
Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução parcial ou total deste site sem prévia autorização.