Araruna-PB, Segunda-Feira, 20 de Novembro de 2017
Publicidade
Sexo e Relacionamento
17 de Agosto de 2017 ás 09:09h
Saiba quais são os alimentos pioram e quais melhoram sua vida sexual

Às vezes, especialmente no início dos relacionamentos, uma noite romântica começa com um bom jantar com vinho e um chocolate de sobremesa. Bem... Se a ideia é mandar bem no rala e rola depois, talvez esse não seja o cardápio mais adequado.

 

O Mother Nature Network divulgou, recentemente, uma relação bem interessante entre alguns alimentos e um bom – ou não tão bom assim – desempenho sexual.

 

Ao que tudo indica, gordura saturada é uma péssima pedida para quem quer fazer bonito na hora H, e, infelizmente, esse ingrediente “do mal” está presente em alguns dos itens de um cardápio considerado romântico. 

 “Se o corpo está gastando sua energia e tempo se limpando constantemente desses químicos (gorduras saturadas) que nós comemos, não consegue ter um desempenho sexual elevado”, explicou Brian Clement, do Hippocrates Health Institute e coautor do livro “7 Keys to Lifelong Sexual Vitality”, que escreveu em parceria com a sua esposa, Anna Maria Clement.

 

De acordo com o especialista, os problemas de desempenho sexual, que antes eram mais comuns em casais na terceira idade, agora são frequentes em casais novos, que estão na casa dos 40 anos de idade.

 

A coisa parece ser bem mais complicada do que imaginamos: segundo Clement, 50% dos homens com 40 anos de idade têm problemas para fazer sexo.

 

 

“Quase todo mundo que vemos aqui no instituto pergunta sobre sua saúde sexual”, explica Ana Maria Clement.

 

O casal acredita que refeições pesadas, poluição do ar, toxinas alimentares, pesticidas, fungicidas e o consumo de refrigerantes podem estar contaminando e enfraquecendo os sistemas celulares do corpo, comprometendo a libido e o desempenho sexual tanto de homens quanto de mulheres.

 

O que piora o quadro é o fato de que medicamentos conhecidos por melhorar o desempenho sexual, como é o caso do Viagra, têm sido cada vez mais usados deliberadamente por pessoas que querem “ver como é”.

 

Só para você ter ideia, nos EUA quem mais compra a droga são homens entre os 20 e os 28 anos de idade.

 

O problema, de acordo com Brian, é que esse excesso de estímulo sexual compromete o desempenho sexual desses homens quando eles estiverem na casa dos 30 ou dos 40 anos.

 

O que precisa ficar esclarecido é que não há nada de errado em querer ter uma vida sexual mais interessante e ativa, mas há sempre meios de buscar isso sem comprometer a saúde.

 

 

Nesse sentido, evitar o consumo de alguns alimentos antes do sexo já pode ser uma ótima forma de fazer bonito.

 

Os especialistas nos aconselham a não acreditar em todos os alimentos que são considerados afrodisíacos.

 

No caso da ostra, por exemplo, ela só faz parte dessa lista de comidas que abrem o apetite sexual por ter um formado que lembra órgãos reprodutivos.

 

Já o chocolate, apesar de ser delicioso, é rico em gordura e açúcar, o que não é uma boa ideia antes do sexo.

 

Entre aqueles que devem ser evitados estão também as carnes processadas, como bacon, salsicha e afins.

 

Elas têm altos níveis de gorduras saturadas e de colesterol, o que ajuda a entupir artérias, inclusive as que estão nas regiões da genitália masculina e feminina.

 

Uma vez que essas artérias estejam entupidas, a pessoa passa a ter dificuldades de manter a excitação e de chegar ao orgasmo.

 

Laticínios também não devem ser consumidos antes do ato sexual, especialmente os queijos, que, adivinha só, também são repletos de gorduras saturadas. “Sua pior opção de almoço?

 

Um hambúrguer com bacon e milk-shake de chocolate”, brinca a autora do texto do MNN, Jennifer Nelson.

 

 

Bolos, pães e bolachas processadas também devem ficar de fora das suas opções do que comer. Mesmo quando a embalagem desses produtos traz o aviso de que eles não têm gorduras trans, o consumo deve ser evitado.

 

Já os alimentos ricos em soja têm altos níveis de estrogênio, o que pode diminuir a libido nos homens e aumentar as chances de problemas hormonais em mulheres, então é bom deixar a soja de lado também antes de ir para debaixo das cobertas com o seu parceiro ou com a sua parceira.

 

Talvez a essa altura você esteja se perguntando que alimentos são permitidos, no final das contas – parece que não sobraram opções, a gente entende. A boa notícia é que alguns alimentos melhoram nossa circulação sanguínea, e seria uma boa ideia apostar neles.

 

Se você come carne, escolha peixes como o cavala e o salmão, que são ricos em ômega-3 e que, por isso, ajudam a manter as coisas firmes – cof cof – no caso dos homens. No caso das moças, esses peixes melhoram a circulação na região do clitóris, o que é um passo importantíssimo em direção ao orgasmo.

 

Cenouras são ótimas para aumentar a libido, devido ao alto teor de vitamina E. Vegetais e folhas verdes também são ótimos para a saúde sanguínea, e, ao contrário dos alimentos que entopem artérias, eles melhoram a qualidade delas.

 

Abacates, ricos em gorduras do bem, também são uma boa pedida; se você gosta de frutas, abuse da melancia, que contém substâncias que fazem bem à corrente sanguínea.

 

 

Na hora de cozinhar, dê preferência a ingredientes como a mostarda verde (aquela em folhas, não a que você come com sanduíche), o espinafre, a couve e os brotos de ervilha. Sementes de abóbora também fazem bem, assim como figos, noz-moscada, framboesas pretas, alcachofras e inhame.

 

Os especialistas recomendam atenção com relação ao peso corporal, afinal a obesidade também está relacionada a problemas de disfunção sexual. Perder peso pode aumentar os níveis de testosterona e melhorar o desempenho quando o assunto é sexo.

 

Vale lembrar que, se a ideia é emagrecer um pouco, o ideal é contar com aconselhamento médico e nutricional. 

 

Fotos: Reprodução 

 

Mega Curioso 

O que você achou desta notícia?
bom Gostei ruim Não Gostei
Gostei 0
Não Gostei 0
Por:
Link:
Comentários ()
© 2011 - 2017 - Araruna1.com
Todos os direitos reservados
É proibida a reprodução parcial ou total deste site sem prévia autorização.