Notícia
Veja o resumo da sessão ordinária desta sexta (09) na Câmara Municipal de Araruna/PB

Publicado em 11/03/2018

Reprodução

Nesta sexta (09) foi realizada mais uma sessão ordinária na Câmara Municipal de Araruna/PB, sob a presidência do vereador Adailson Bernardo (PSB). Em conformidade com a Ordem do Dia, no início foi lida à ata da sessão do dia 23 de fevereiro e do dia 02 de março, bem como a apresentação de indicação, requerimentos e projetos, confira abaixo.

Em seguida cada vereador fez seu pronunciamento. O vereador Jefferson Targino deu ciência aos demais vereadores e ao público presente que a prefeitura de Araruna no dia 01 de março através de convênio 602647 com o Ministério das cidades, sendo esse de R$ 585.000,00 reais, na qual já foi creditado neste dia nos cofres públicos desta cidade o valor de R$ 117.000,00 reais. A partir disso, será feito a averiguação e o requerimento da cópia da execução desse convênio para saber a que se refere essa verba, pois não foi possível identificar para que servirá.

Disse que além de ser vereador no município, exerce a função de enfermeiro sanitarista, e que a secretaria e a coordenadora de saúde estiveram na unidade de saúde onde o mesmo trabalha e numa reunião entre os profissionais a respeito do funcionamento da saúde, expressou que a gestão de Vital Costa não tem falhas e não falta nada. O legislador salientou que ela está enganada, que essa gestão tem muitas falhas e faltas, pois na unidade de saúde se deixou de fazer visitas e curativos por não ter luvas de procedimentos, como também houve um período que na mesma unidade não se fazia o HGT (Teste da glicemia capilar), porque não tinha fitas para o Glicosímetro, sendo isso uma falta e logo de materiais de baixo custo. Por fim, disse que tem falhas sim, pois ano passado não teve corte de terras e nem distribuição de sementes, bem como a unidade de saúde do Macapá passou mais de um ano sem médico, e sem falar no caso do dentista que estava cadastrado e não estava no Brasil, mas mesmo assim a gestão se serviu do repasse financeiro que foi feita para a unidade de saúde, então isso mostra as falhas e faltas.

O vereador Antônio Olinto iniciou dizendo que existem falhas, que não existe nada 100% e que uma das maiores falhas que pode existir é justamente quando alguém chega num local e diz que não tem falhas, expôs ainda que não concorda com o vereador Jefferson Targino quando ele disse que é natural a situação defender e a oposição denunciar, que ele faz parte da situação, mas isso não significa que tem por obrigação de encobrir algumas falhas.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O vereador Naldo disse que na unidade de saúde de Anafe não foi extraído um dente sequer nesta atual gestão municipal, falou ainda sobre seus requerimentos que solicita o corte de terras e a distribuição de sementes para a população mais carente. Relatou que estava trabalhando e chegaram umas crianças dizendo que não tinha merenda escolar nas escolas, bem como na semana passada o ônibus não compareceu em dois dias na comunidade do Macapá e esta semana já vai em três dias sem ir nesta região, ai o vereador questionou que gestão é essa. Disse que o prefeito não quer negócio com os pobres, mas que ele se elegeu com os votos desse povo e não com os dos ricos, e pediu que ele olhasse mais para os mais carentes.

O vereador Francisco Railton (Pepeta) foi de acordo com os requerimentos, agradeceu aos demais vereadores por votarem a favor do voto de pesar ao falecimento de sua vizinha. Ressaltou que está lutando pela colocação de lombadas no município e que esteve no Muquém constatando o corte de terras, disse sentir muito por ser só dois tratores e que gostaria que fosse quatro ou cinco fazendo esse serviço para que fosse mais rápido.

O vereador Toinho Natanael foi favorável aos requerimentos e ao voto de pesar, falou sobre a administração dizendo que tem muitas falhas, que nas redes sociais são divulgadas todos os dias as falhas comprovadas e filmadas feitas através dos suplentes de vereadores enfatizaram que os vereadores de oposição fazem o possível para mostrar as falhas da gestão. Contou que no domingo passado a oposição esteve com o Deputado Estadual Benjamim Maranhão expondo as ruas que eram pra estarem calçadas e que apenas duas já foram concluídas, lembrando que essas emendas foram do deputado em questão.

O vereador Luís Martiniano afirmou que é verdade, que existem falhas e que isso acontece em qualquer administração pública, mostrou que só se corrigem falhas com críticas construtivas, e que não concorda quando dizem que a administração não está fazendo e não está trabalhando, porque a atual gestão tem falhas, mas está trabalhando. Relatou que o corte de terras já está sendo feito e está no aguardo da chegada das sementes para serem distribuídas, relembrou que no ano passado ao assumir o município, mesmo com dificuldades a gestão cortou 300 horas de terras e distribuiu 11.000 kilos de sementes.

Falou que a secretária de saúde cometeu um equivoco em dizer que não tinha falhas no município, pois sempre existem falhas, mas que o atendimento está bem melhor nesse município como anteriormente, pois em Fazenda Nova têm dentista todos os dias e na gestão passada ficou sem esse profissional por quatro anos, expôs ainda que nessa mesma comunidade e nas regiões vizinhas tem merenda escolar de qualidade nas escolas. Por fim, disse que se o gestor municipal não tivesse fazendo nada o primeiro que iria criticar seria ele e na hora que ele errar o primeiro a ir à tribuna será ele.

O vereador Adailson Bernardo relatou que é hipocrisia dizer o a gestão não está fazendo nada, mas que não está fazendo o necessário, o dever de casa como deve ser feito. Expôs que já foram contratados vários tratores para o corte de terras, as aulas iniciaram e não tem merenda escolar, como também o problema de transporte e falta de médicos. É notório que o problema existe também na educação, pois o fardamento até agora não apareceu e na iluminação pública, sendo um fato recorrente desde a gestão passada.

Declarou que o prefeito reclamou em tempos passados em nível estadual o pagamento de altos salários para os secretários, e que atualmente o salário é o mesmo, mas há um aumento na folha de pagamento sem critérios. O vereador disse ainda que houveram denuncias no aplicativo da Câmara sobre a falta de transporte municipal para os alunos universitários que estudam em Guarabira/PB e sobre a falta de iluminação pública. Defendeu a classe dos vereadores, pois muitas pessoas usam as redes sociais para criticar o vereador e para que isso aconteça primeiro tem que saber a função do mesmo, visto que ele não executa calçamento e não pinta escola, a obrigação do legislador é fiscalizar as ações do poder executivo, bem como de outros poderes e buscar soluções, fazendo leis e ajudar a aprovar ou reprovar.

Por fim, informou que foi ultrapassado em mais de um milhão o déficit orçamentário em outubro do ano passado e recentemente chega uma cobrança dos prédios públicos que a energia está atrasada, correndo o risco de ser cortada, mostrando assim ser uma “administração organizada”, tal organização essa que não consegue nem pagar a sua energia, declarando assim os seus problemas.

No final da sessão, os vereadores votaram e aprovaram os requerimentos e os Projetos de Lei 19/2017; 21/2017; 26/2017. A emenda modificativa nº 001/2018 ao PR. Nº 05/2017 e o Projeto de Resolução 05/2017 foram reprovados.

 

A sessão contou com a presença dos Vereadores: Rodolfo Cordeiro, Adailson Bernardo, Carlos Antônio de Souza Teixeira, Antônio Olinto da Costa, Luís Martiniano, Caio Ludgério, Antônio Bernardo de Sousa, Francisco Edinaldo Pontes Martins, Francisco Railton Neves Pontes e Jefferson Targino. A vereadora Maria de Lourdes S. de Macêdo não se fez presente, mas justificou sua ausência.

 

Confira as proposituras:

09 01

09 02

09 03

09 04

09 05

09 06

09 07

09 08

09 09

09 10

09 11

09 12

09 13

09 14

09 15

09 16

09 17

09 18

 

Confira fotos da sessão:

09 24

09 19

09 20

09 22

09 23

 



Por: ASCOM - CMA


Em cumprimento à Legislação Eleitoral, o Portal Araruna1 | O portal de notícias de Araruna e Região não publicará os comentários dos leitores. O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrarem.