Notícia
Justiça solta últimos presos suspeitos de fraudar concursos públicos na Operação Gabarito

Publicado em 16/05/2018

Reprodução

Todos os suspeitos presos na Operação Gabarito, responsável por investigar fraudes em cerca de 80 concursos, já estão em liberdade. A primeira fase da operação policial começou no início de maio e prendeu dezenas de pessoas suspeitas de provas de concursos no Brasil.

No último fim de semana, os cinco últimos suspeitos que ganharam a liberdade foram o policial civil de Alagoas, Flávio Borges, apontado pela Polícia Civil como líder do grupo criminoso, Luiz Paulo Silva dos Santos, 37 anos, apontado pela polícia com um importante articulador das ações, o policial rodoviário federal Marcos Vinícius Pimentel e Vicente Borges, e Erideywyd Henrique, o último suspeito preso em Maceió.

Os cinco foram soltos após o Tribunal Regional Federal da 5ª Região em Recife e Justiça Federal concederem habeas corpus a um deles e o benefício se estender para todos. Eles estavam presos na sede do 1º BPM, 5º BPM e Presídio do Roger, na Capital.

A soltura aconteceu porque os réus estavam presos há mais de um ano e, nesse período, o Ministério Público não teria conseguido provas de acusações contra eles.  O habeas corpus foi pedido por excesso de prazo.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Entenda o caso

A operação deflagrada pela Polícia Civil da Paraíba em maio de 2017 e conseguiu prender mais de 30 pessoas. O grupo é suspeito de fraudar concurso em pelo menos 15 estados, conseguindo a aprovação de 500 pessoas, movimentando mais de 29 milhões reais em 12 anos. Foram identificados 98 concursos fraudados.


Da Redação com o PBhoje


Educação e cursos
Abertas Abertas as inscrições para o curso “Breve História da Arte Moderna e Contemporânea”, com o artista plástico e professor Sidney Azevedo. As inscrições são gratuitas e presenciais, sendo necessário preencher e assinar a ficha de inscrição que está disponível na recepção do prédio administrativo da Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano. As aulas têm previsão para começar no dia 8 de maio deste ano. Estão sendo ofertadas 50 vagas. As aulas acontecerão no turno da tarde, todas as quartas-feiras, das 15h às 17h. O curso ao mesmo tempo em que irá capacitar os funcionários da Estação Cabo Branco também é aberto ao público. “A perspectiva deste curso é estabelecer um núcleo contínuo de estudos para aprimoramento do nível teórico e prático dos profissionais que atuam na área de competência das artes, incluindo os profissionais das demais áreas do conhecimento”, comentou o professor Sidney Azevedo. O curso terá duração total de 48h/aula e será desenvolvido em quatro módulos de 12h, distribuídos em seis meses. Perfil de Sidney Azevedo Sidney Azevedo é mestre em História da Arte, Crítica e Processos de Criação pela PPGAV/UFPB/UFPE. Professor de Artes Visuais da Sedec PMJP, com exposições coletivas e individuais dentro e fora do País. Licenciado em Artes Visuais pela UFPB. Também foi professor de instituições como o Centro Universitário de João Pessoa (Unipê) e a Fundação de Apoio ao IFPB (Funetec/PB). Foi diretor do Casarão 34, Unidade Cultural da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope) e da Casa da Pólvora, no Centro Histórico.para curso de história da arte na Estação Cabo Branco