Carros e motos
Husqvarna Svartpilen 401, a flecha negra

Publicado em 19/01/2019 14:41

Reprodução

Depois de conhecermos a Husqvarna Vitpilen 701, na última semana, não podia deixar de mostrar aqui a sua irmã Svartpilen, que, além do nome parecido (e o mesmo sobrenome), tem diferenças básicas em relação à primeira.

O nome parecido é explicado pela tradução do sueco: Vitpilen significa Flecha Branca, enquanto que Husqvarna Svartpilen significa Flecha Negra. Mas não só as cores as diferenciam, mas, principalmente, os conceitos. Enquanto a Vitpilen é uma café racer futurista, a Svartpilen é uma motocicleta que segue o conceito scrambler, misturando um pouco de fora de estrada com piso de asfalto. Seus pneus com estilosos e largos gomos dão uma ideia de que a Svartpilen também pode se sair bem em um caminho de terra.

O banco da Husqvarna Svartpilen parece flutuar sobre a roda traseira, de tão macia e estável. Continue acompanhando
Gabriel Marazzi
O banco da Husqvarna Svartpilen parece flutuar sobre a roda traseira, de tão macia e estável. Continue acompanhando
 

Só para esclarecer, a marca sueca, que hoje pertence grupo austríaco KTM, tem a Svartpilen e a Vitpilen tanto na versão 701 quando na versão 401, mas aqui no Brasil estão disponíveis apenas a Vitpilen 701 e a Svartpilen 401.

Rodei apenas na cidade com a Husqvarna Svartpilen 401, o suficiente para notar que o motor monocilíndrico menor, de 373 cm3 de cilindrada – o mesmo que equipa a KTM 390 Duke –, é bem mais civilizado do que o brutal mono da Vitpilen, de 693 cm3. O estilo scrambler, que o mundo volta a cultuar nos dias de hoje, torna a Svart bem gostosa de ser pilotada, com posição de pilotagem excelente e dirigibilidade acima da média, aproximando-se, não por acaso, da Duke, que também compartilha seu quadro de treliça de aço.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Tocada da Husqvarna Svartpilen

O guidão originalmente mais alto e largo facilita a pilotagem urbana da estilosa Husqvarna. Além disso, é bem prazeirosa
Gabriel Marazzi
O guidão originalmente mais alto e largo facilita a pilotagem urbana da estilosa Husqvarna. Além disso, é bem prazeirosa

O motor da Svartpilen 401 é, logicamente, bem mais dócil do que o da 701, com potência de 43 cv e torque de 3,8 kgfm. O câmbio é de 6 marchas. Enquanto isso, o seu visual é tão agressivo quanto o da Vitpilen, com destaque para o banco do piloto, estreito e curto, e uma “almofadinha” ainda menor para um eventual garupa, ambos parecendo flutuar sobre o pneu traseiro. A lanterna traseira de led fica na ponta dessa rabeta e um para-lama mínimo, que também serve de suporte para a placa, está preso à balança traseira da suspensão. Em cima do tanque há um bagageiro para pequenos volumes e o painel de instrumentos é circular, igual ao da Vitpilen.

 

Com essa receita estética, não se pode duvidar que a Husqvarna Svartpilen é uma motocicleta muito exclusiva, situada em um patamar acima do da KTM Duke. O preço de R$ 49.900 a situa exatamente nesse patamar.

Fonte: Carros - iG @ https://carros.ig.com.br/colunas/cultura-motocicleta/2019-01-18/husqvarna.html