Direito e justiça
Empresa investigada pela “Operação Famintos” mantinha contrato com nove prefeituras paraibanas

Publicado em 30/07/2019 15:59

Reprodução

A empresa Delmira Feliciano Gomes ME, que está investigada pela “Operação Famintos”, que apura desvio de verbas da Merenda Escolar de Campina Grande, obteve contratos que somaram quase R$ 18 milhões com gestões municipais. Os dados estão  no Sistema Sagres, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB).

De acordo com as investigações do Ministério Público Federal (MPF), o empreendimento não teria sequer proprietário e a pessoa física Delmira Feliciano também não existia. Apesar do volume de recursos recebidos, a empresa não teria também funcionários, conforme o MPF, e está registrada em um endereço onde existe apenas um terreno baldio.

A Delmira Feliciano foi criada em 2013, segundo as investigações, e seria administrada pelos empresários Frederico de Brito Lira e Flávio Souza Maia. No relatório do Ministério Público Federal, ao pedir a prisão de 14 suspeitos (entre eles os dois empresários), não há a menção de que os contratos com outras prefeituras e com o Governo do Estado estejam sendo investigados na Operação Famintos.

O advogado do empresário Frederico de Brito Lira, Rodrigo Celino, disse que a defesa não teve acesso à totalidade das investigações. “No momento oportuno nós vamos nos manifestar. Eu acredito plenamente na inocência do nosso constituinte”, frisou. Frederico Lira está preso temporariamente por decisão da Justiça Federal.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -