Direito e justiça
TCE alerta PMJP e Governo sobre excesso de contratados

Publicado em 01/07/2019 17:18

Reprodução

O número de contratações temporárias e por excepcional interesse público pela Prefeitura de João Pessoa e pelo Governo do Estado chamaram atenção do conselheiro do Tribunal de Contas (TCE-PB), André Carlo Torres, que emitiu um alerta às duas entidades.

De acordo com informações do Painel de Acompanhamento de Gestão “Quadro de Servidores”, disponibilizado no Portal do TCE-PB (tce.pb.gov.br), em abril eram 14.894 servidores temporários no âmbito da gestão de João Pessoa – número maior que a soma dos servidores efetivos (11.041) e comissionados (1.514) do município.

Já no Governo do Estado, os dados de janeiro mostram 21.071 temporários, no total.

O relator dos processos, conselheiro André Carlo Torres Pontes, demonstra, nos alertas, que esta modalidade de contratação está prevista na Constituição Federal (art. 37, IX), mas são exigidos vários requisitos, nos termos da lei e da jurisprudência pacífica do STF, para que seja considerada regular.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Requisitos para contratação

Os requisitos são: os casos excepcionais estejam previstos em lei; o prazo de contratação seja predeterminado; a necessidade de contratação seja temporária; o interesse público seja excepcional e a necessidade de contratação seja indispensável, sendo vedado a contratação para os serviços ordinários permanentes, e que devam estar sob espectro das contingências normais da administração.

Por isso o Tribunal de Contas, recomenda aos gestores dos dois órgãos jurisdicionados – prefeito Luciano Cartaxo e governador João Azevêdo – que atestem a presença dos requisitos necessários para tais contratações ou adotem as medidas corretivas e preventivas necessárias a fim de evitar prejuízos ao erário e garantir a regularidade da gestão orçamentária.