Economia
Financiamento imobiliário será retomado após publicação da LOA
Construtores alegaram que mais de 100 obras estão prontas e aprovadas, porém não conseguem resolver a parte burocrática

Publicado em 22/01/2019 10:24

Reprodução

Após representantes da construção civil em João Pessoa reclamarem que não estão tendo acesso a recursos para negócios imobiliários, culpando a Caixa Econômica Federal pelo problema, o governo federal, através da Assessoria de Comunicação Social do Ministério do Desenvolvimento Regional, emitiu uma nota oficial ao Portal Correio através da qual explica que o financiamento imobiliário será retomado após publicação da Lei Orçamentária Anual (LOA).

Confira nota na íntegra:

Como o subsídio para operações do programa provém de recursos do Orçamento Geral da União (OGU), as contratações do ‘Minha Casa, Minha Vida’ serão retomadas a partir da publicação do decreto federal de programação orçamentária e financeira para 2019. A Lei Orçamentária Anual (LOA) foi sancionada na última quarta-feira (16) pela Presidência da República, que tem até 30 dias para publicar o decreto.

ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Entenda o problema

Em entrevista à Rádio 98 FM, nesta segunda-feira (21), construtores alegaram que mais de 100 obras estão prontas e aprovadas, porém não conseguem resolver a parte burocrática, pois o financiamento não é liberado.

Eles explicam que os apartamentos são construídos, a Caixa Econômica faz a vistoria e aprova ou não. Aprovando tudo, toda a documentação também é aprovada e tem início o processo administrativo até se chegar à formulação do contrato. É nesse último momento que o cliente solicita o financiamento na Caixa e é justamente aí que está o atual problema.

Manifestação

Os representantes da construção civil estão programando uma manifestação para esta terça-feira (22), às 8h30, em frente à Caixa Econômica, na Avenida Epitácio Pessoa, na Capital. Eles garantem que será uma manifestação pacifica e apenas presencial.

Segundo a organização, a manifestação reunirá 177 construtores de todo o estado, além de clientes, empresários do ramo de material de construções e corretores.