Entretenimento
Orquestra Sinfônica da UFPB abre temporada 2020 com concerto de carnaval

Publicado em 12/02/2020 19:02

Reprodução

A Orquestra Sinfônica da UFPB abre temporada com grande concerto de carnaval 2020. A proposta, surgida em 2019, entra como mais uma atração do calendário cultural do carnaval de João Pessoa. Desta vez, excepcionalmente, a apresentação acontecerá no Theatro Santa Roza e contará com a participação especial da Banda Aquariana e do Coro de Câmara Villa-Lobos. O evento acontece nesta sexta-feira, 14 de fevereiro, com início às 20:00 horas e a entrada é gratuita, aberta para todas as idades.

O repertório do concerto foi criteriosamente escolhido para o deleite dos amantes da cultura carnavalesca, onde poderão escutar grandes clássicos de frevo em suas diversas modalidades. A participação da Banda Aquariana traz a força dos festejos de Momo, traduzido em seus metais e percussão que, somados às vinte e uma cordas da Orquestra, promovem uma sonoridade emocionante que foi criada por arranjadores primorosos como Emanoel Barros, Marcelo Vilô, Maestro Chiquito e o compositor e arranjador Carlos Anísio, que também regerá o concerto. A presença do Coro de Câmara Villa-Lobos garante o lirismo poético dos frevos de bloco e frevos canção, tradicionais do carnaval pernambucano, mas que encanta todo o país com a obra de compositores como Capiba e Nelson Ferreira.

Mas o concerto não se limitará à apresentação musical, pois resolveram contemplar a dança como elemento indissociável do carnaval, sobretudo quando se fala do frevo e seus passos tradicionais que conduzem os pés de quem traz esta festa no coração, em acrobacias emocionantes e emocionadas, não só para quem dança, mas também para quem assiste a esse espetáculo popular. Para isso, a direção do concerto convidou as bailarinas Valéria Vicente e Thaismary Ribeiro, que trarão esses movimentos para a noite sinfônica de folia.

A OSUFPB

A OSUFPB é um equipamento cultural da UFPB pertencente ao Centro de Comunicação, turismo e Artes e ligado aos Departamentos de Música e Educação Musical da instituição. A Orquestra tem finalidades pedagógicas que envolvem professores e alunos da UFPB, além de contribuir para a formação de plateia para o público pessoense. Atualmente conta vinte e dois músicos fixos, sendo vinte um de cordas e um trompista, contando ainda com a participação eventual de professores e alunos dos cursos de música da UFPB, além de colaboradores voluntários da cena sinfônica paraibana.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

1000 x 100

Banda Aquariana

Fundada em 2017, a banda AQUARIANA, cujo nome homenageia o Maestro Sivuca, tem como objetivo difundir a música instrumental através de composições autorais de seus integrantes, como também de interpretar obras da literatura musical brasileira, sob uma nova óptica de arranjos. Na sua formação, a banda “Aquariana” conta com a experiência de músicos conceituados e que atuam há bastante tempo juntos, trazendo também uma nova safra de músicos talentosos que vem surgindo no cenário da música paraibana. Essa mistura da experiência com a juventude, caracteriza o som da Banda AQUARIANA, onde prevalece a preocupação com o nível técnico/interpretativo na execução do seu repertório procurando atingir o máximo possível na sua performance. A Banda AQUARIANA é formada por professores, alunos e ex-alunos da UFPB (Universidade Federal da Paraíba) e traz na sua formação os seguintes músicos: Renan Rezende na flauta, Arimateia Veríssimo “Teinha”, Marcelo Vilor, Heleno Feitosa “Costinha”, Rodrigo Marques nos saxofones, Sabiano Araújo e Marlon Barros nos trombones, Emanoel Barros, Fernando Alves e Julián Sánchez nos Trompetes, Anderson Mariano na guitarra, Xisto Medeiros no baixo e Saulo Soares na bateria.

Para o Concerto de carnaval 2020 da OSUFPB, a Banda Aquariana contará ainda com a participação de: Telles Ian, saxofones e clarineta; Jônatas Silveira nos saxofones e Estêvão Gomes, trompete e fluguelhorn.

Coro de Câmara Villa-Lobos

O Coro de Câmara Villa-Lobos vem se consolidando ao longo dos seus vinte e seis anos de existência como uns dos mais versáteis grupos corais do nordeste, convidado para participar de importantes eventos no país. Mantém desde o início dos anos 2000 o Concerto das Trevas, evento que acontece sempre às Quartas-feiras de Trevas no qual são interpretadas obras de diversos compositores e épocas, alusivas à trajetória dos últimos momentos de Jesus Cristo. Em 1996 e 1997 o grupo realizou duas temporadas do espetáculo Todas as Ondas do Rádio, sendo convidado para abrir a Mostra de Música do III Festival Nacional de Arte (FENART). No ano de 2000, o CCVL lançou o CD duplo Cancioneiro de Ipuarana, gravação integral da obra coral de D. Adriano Hipólito (1918-1996). Todas as Ondas do Rádio transformou-se em CD (CPC-UMES/São Paulo) cujo lançamento ocorreu em dezembro de 2000. Em 1997 participou da montagem da ópera La Traviatta de G. Verdi, juntamente com a Orquestra Filarmônica Norte-Nordeste, que sob a regência de Aylton Escobar, realizou récitas em Recife, Natal e João Pessoa. Participou da gravação dos CDs Poetas Sem Conserto e Cantata pra Alagamar (J. A. Kaplan e W. J.Solha), realizando em 2017 apresentações da obra em João Pessoa, Areia e Campina Grande. O CCVLI é dirigido pelo maestro Carlos Anísio.