Entretenimento
Valéria Vicente apresenta espetáculo Ebulição em João Pessoa

Publicado em 31/10/2019 09:27

Reprodução

O espetáculo de dança ‘Ebulição’, com Valéria Vicente, será apresentado nesta sexta-feira (1º), no Teatro Santa Roza, Centro de João Pessoa, dentro da programação do Projeto Interatos. A classificação indicativa é livre e a entrada é gratuita.

A partir da ativação de uma frequência somática – que permite a realização de tremores involuntários – a performer propõe uma imersão sensorial e cinestésica que esgarça os limites entre performer e público. Valéria Vicente é professora do Departamento de Artes Cênicas da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) e atua desde os anos 2000 na cena de dança contemporânea.

Já a pesquisa com frevo teve início em 2005, após sua saída do elenco do Grupo Experimental. À procura de uma movimentação própria do corpo, a artista encontrou no frevo memórias, técnica e muitas questões que alimentaram pesquisas criativas, históricas, educacionais e cinesiológicas.

Os espetáculos ‘Fervo’ (2006), ‘Pequena subversão’ (2007), ‘Frevo de casa’ (2011), ‘Reflexão’ (2015) e ‘Re/in-flexão’ (2017) foram motores ou resultados dessas pesquisas. Assim como os livros ‘Entre a ponta de pé e o calcanhar’ (2009), ‘Frevo para aprender e ensinar’ (2015) e o DVD ‘Trançados musculares: saúde corporal e ensino do frevo’.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

1000 x 100

Para desenvolver o solo a partir dos tremores corporais, Valéria contou com dois suportes fundamentais, um no Brasil e outro em Londres. No Brasil, a abordagem corporal chamada Movimento Autêntico permitiu uma consciência do próprio movimento. No Brasil, a principal difusora dessa abordagem é a carioca Soraya Jorge, que anualmente oferece cursos e consultas no Recife (PE) e se tornou uma das colaboradoras da pesquisa.

O outro ponto de apoio foi o intercâmbio na Middlesex University. Com apoio do Programa Erasmus Interchange, durante os meses de maio a agosto de 2017, e orientação da professora Vida Midgelow, a artista desenvolveu a estrutura do solo, apresentando ensaios abertos na programação daquela universidade.

“Tanto eu quanto minhas orientadoras – em Londres e em Salvador – ficamos surpresas com o fato de um trabalho de 40 minutos que é peça central da minha tese ser desenvolvido a partir da investigação dos tremores. Mas por fim, reconhecemos que aquele investimento havia gerado algo especial e digno de ser compartilhado artisticamente”.

De volta ao Brasil, Valéria convidou o coreógrafo e performer Kiran para dividir a direção geral do trabalho, que conta com trilha e performance ao vivo do músico Caio Lima. Além disso, espetáculo conta com figurino de Maria Agrelli e iluminação de Natalie Revoredo. ‘Ebulição’ e ‘Re/in-flexão’ integram a tese de doutorado defendida no Programa de pós-graduação em Artes Cênicas da UFBA, sob orientação de Daniela Amoroso.