Esporte
Atleta sentiu-se mal, caiu e foi socorrido por um médico antes de morrer durante corrida, diz nota

Publicado em 31/03/2019 10:30

Reprodução

A Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) emitiu nota em que lamenta a morte do corredor que sofreu uma parada cardiorrespiratória na tarde deste sábado (30) durante a 2ª edição da Corrida Contra a Corrupção, na orla do Cabo Branco, em João Pessoa. A organização explicou, no comunicado, como se deu o fato.

Segundo a organização, o atleta Waldir Ângelo da Silva, de 56 anos, caiu após sentir-se mal e foi amparado por um médico que participava da corrida. Ele recebeu a assistência do Samu, ambulância e motolâncias contratadas para o evento, mas não resistiu e morreu.

Saiba mais

Homem morre de parada cardiorrespiratória durante Corrida Contra a Corrupção, em JP

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Confira na íntegra a nota da ADPF enviada ao ClickPB.

NOTA

A organização da 2ª edição da Corrida contra Corrupção lamenta profundamente o falecimento natural do atleta Waldir Ângelo da Silva, de 56 anos, vítima de um infarte fulminante durante o trajeto da atividade. 

O corredor estava fazendo o percurso da prova de 10 quilômetros, quando sentiu-se mal e caiu. Ele foi assistido imediatamente por um médico que também participava da prova, que prestou os primeiros socorros. Foram acionados o Samu, os bombeiros, as duas motolâncias contratadas para o evento, assim como a ambulância da empresa Falcon, também contratadas pela organização.

Os responsáveis pela Corrida se solidarizam com os amigos e familiares e está à disposição para o que for necessário. Informa ainda que o corredor, tal qual todos os inscritos no evento, estava acobertado pelo seguro de vida, que já foi devidamente acionado pela organização.