Policial
Perícia vai investigar se arma que matou PM estava com defeito
Cabo Emerson estava com outros policiais militares atendendo uma ocorrência quando uma submetralhadora, portada por outro policial, disparou sozinha

Publicado em 09/09/2019 16:12

Reprodução

A delegada Nercília Dantas confirmou que o tiro que matou o policial militar cabo Emerson Soares de Lima, de 34 anos, na manhã desta segunda-feira (9) em Campina Grande, partiu da arma de outro policial que estava próximo a ele. A arma vai ser periciada para identificação de possível defeito que tenha causado o disparo.

No momento do tiro, o cabo Emerson estava junto com outros policiais militares atendendo uma ocorrência de perturbação do sossego, quando houve abordagem a um suspeito do delito.

Segundo a delegada, foi durante a ação policial, já com o suspeito preso, que uma submetralhadora, portada por um dos policiais, acabou disparando sozinha, atingindo o cabo na cabeça.

“Descartamos a hipótese de crime doloso (com intenção de matar). Os indícios são de que houve um acidente e a arma acabou disparando sozinha. Por isso, iremos enviar a submetralhadora para perícia, que vai identificar se o armamento tem defeito e se esse possível defeito foi o que provocou o disparo”, disse a delegada.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Inicialmente, a Polícia Militar divulgou que o cabo havia sido atingido por um tiro da própria arma, que teria caído ao chão e disparado.

Além da pericia na arma, a delegada vai ouvir todos os policiais que estavam envolvidos na ocorrência e testemunhas civis que presenciaram o fato. O prazo para conclusão do inquérito é de 30 dias.