Política
Ainda órfã, secretaria estadual de Articulação Política do Governo João deve contemplar um dos deputados que não conquistaram a reeleição

Publicado em 02/01/2019 23:19

Reprodução

Dentre os vários cargos anunciados pelo governador João Azevêdo (PSB), alguns deles ainda se encontram acéfalos, ou seja, sem um titular para comandá-lo, a exemplo da Secretaria Estadual de Articulação Política.

 

Nos bastidores, a informação é que o cargo, do primeiro escalão, está vago, estrategicamente, aguardando um dos deputados aliados, que não conquistaram a reeleição, para ocupa-lo.

Na bolsa de apostas cogitam-se os nomes de Trócolli Jùnior (Podemos), que inclusive já ocupou a pasta, de Anísio Maia (PT), que é primeiro suplente e espera ser aproveitado, seja na gestão, seja na Assembleia Legislativa da Paraíba, e ainda o de Lindolfo Pires (Podemos), que, por enquanto, é o que apresenta mais força na corrida para o reaproveitamento.

Segundo o secretário de Comunicação do Estado, Luís Tôrres, a situação de Lindolfo já está sendo conversada diretamente com o governador João. Os parlamentares, diferentemente dos titulares do executivo, só encerram o mandato no dia 31 de janeiro. Até lá eles permanecem vinculados à Casa de Epitácio Pessoa.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Já dia 01 de fevereiro começa uma nova legislatura e, com ela, novos titulares de mandato. Já aqueles que ficam sem mandato para chamar de seu, por terem sido fieis ao projeto, articulam para continuarem ativos na política.

“Esse projeto é marcado pela lealdade com que trata os seus companheiros e companheiras todos. É só você analisar ao longo desse tempo todo, não há ninguém com capacidade moral de sair do lado deste governo falando em atos de deslealdade. Naturalmente o que há, e assim deve ser, e foi assim que o governador Ricardo agiu e é assim como Jõao tem agido, é com franqueza. É uma clareza daquilo que é possível fazer e daquilo que não é possível fazer. Esse projeto político nunca será acusado de estar enrolando ninguém, de estar criando ou inventando histórias para dizer que vai fazer algo que não pretende fazer. Então todas as vezes que alguém senta com o governador João Azevêdo para dizer quais as possibilidades de serem contemplados, João coloca clareza e diz o que é possível. Assim, de forma objetiva há previsão e o trabalho de João em poder contemplar os companheiros que por ventura não conseguiram ser eleitos. No caso de Lindolfo, ele tem sido conversado diretamente com Azevêdo”, destacou o secretário.

Aliás foi o próprio Luís Tôrres quem lembrou que, estrategicamente, alguns cargos da gestão estadual permanecem vagos para futuras composições.

“Ainda há secretarias abertas no governo, ainda há alguns cargos que não foram indicados no governo, a exemplo da secretaria estadual de articulação política, além de outros espaços estão para esta composição. Da mesma foram que o governo age com lealdade, é assim que ele vai esperar dos deputados”, ressaltou.

 

Márcia Dias