Política
Protestos em defesa de Bolsonaro e Moro são um fiasco pelo País

Publicado em 26/08/2019 10:56

Reprodução

As manifestações que ocorreram neste domingo (25) em apoio ao governo de Jair Bolsonaro, ao ministro Sérgio Moro e contra o projeto de lei de abuso de autoridade tiveram participação inexpressiva da população.
 
O movimento Vem Pra Rua, que convocou as manifestações, disse que 83 cidades tiveram protestos. Já o G1 afirma que manifestantes se reuniram em 37 cidades de 16 estados e no Distrito Federal.
 
Os bolsonaristas pediram também a indicação do procurador Deltan Dallagnol, cujas ilegalidades na Lava Jato tem sido reveladas pelo Yhe Intercept, à Procuradoria-Geral da República.
 
Em Brasília, os manifestantes ergueram bonecos infláveis no gramado em frente ao Congresso Nacional. Um dos personagens, segundo os organizadores, representava o ministro Sérgio Moro – vestido com roupas do “super-homem”. Pelas imagens divulgadas dá para perceber uam pequena quantidade de pessoas no ato.
 
Em Belo Horizonte, o ato foi na Praça da Liberdade. Manifestantes que se dizem em prol da “reforma moral” do Brasil vestiam camisas da seleção brasileira levaram cartazes a favor do ministro Sérgio Moro e da operação Lava Jato. 
 
No Rio de Janeiro, manifestantes se reuniram na orla da Praia de Copacabana. O ato ocorreu na altura da Rua Miguel Lemos e, com o apoio de um carro de som, os manifestantes cantaram o Hino Nacional e era perceptível a quantidade menor de apoiadores em relação aos protestos anteriores.
 
Na capital paulista, protesto começou às 13h42, com o hino nacional sendo tocado de um carro de som. O grupo se concentrou ao lado do Masp, e não sairá em caminhada. Um boneco gigante do ex-juiz com a frase “Mexeu com o Moro, mexeu com o povo brasileiro”.
 
No Nordeste, o ato em Salvador ocorreu no Farol da Barra, de manhã, com caminhada até o Morro do Cristo. Em Maceió, também durante a manhã, aconteceu na praça Vera Arruda. Já em São Luís, a rua em frente à sede da PF (Polícia Federal) reuniu os manifestantes por cerca de duas horas. Recife teve a avenida Boa Viagem como cenário do ato e, em Natal, a manifestação aconteceu no bairro Tirol.