Política
Vereadores de Cabedelo se reúnem para realizarem eleições suplementares

Publicado em 30/12/2018 10:40

Reprodução

A Câmara de Vereadores de Cabedelo realiza, na noite deste domingo (30), uma sessão extraordinária para fazer eleição suplementar para a Mesa Diretora no segundo biênio.

A presidente da Casa, Geusa Ribeiro (PRP), fez a convocação aos parlamentares e a sessão está programada para ocorrer a partir das 18h.

A sessão acontece dois dias após o prefeito interino da cidade, Vitor Hugo (PRB), oficializar Geusa à entregar a chave do prédio do Poder Legislativo para ele tomar como presidente da Câmara e, e consequentemente, se manter na Prefeitura.

Em contato com o Portal MaisPB, a vereadora alegou que Vitor Hugo já está eleito na próxima Mesa como segundo vice-presidente e tem que ver dentro do regimento quem dará posse a ele.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

“Ele já está eleito na mesa e tem que ter alguém que dê posse a ele. Dessa forma, tem que ver dentro do regimento quem será essa pessoa,  se será o último presidente.  É uma leitura que estamos fazendo e vendo  todas as análises dentro do Direito.  As chaves antes do fechamento do ano não vou entregar.  Só no momento da sessão solene. Antes fica inviável porque temos todo um corpo de pessoal que estará lá dando suporte”, destacou.

Confira o edital de convocação 

Ato e Edital Convocação Eleição Câmara Cabedelo

Entenda o caso

– Todos os vereadores eleitos para o primeiro biênio da Mesa Diretora da Câmara de Cabedelo foram presos na Operação Xeque Mate, do Ministério Público Estadual e Polícia Federal.

– Com a vacância de todos os cargos, foi realizada uma eleição para eleger uma Mesa Diretora para concluir o biênio. Vitor Hugo foi eleito presidente e Geusa Ribeiro vice-presidente. Vitor Hugo assumiu a Prefeitura como gestor interino porque o prefeito eleito, Leto Viana e o vice-prefeito também foi preso na Xeque Mate e o vice-prefeito, Flávio Oliveira (PRP), que posteriormente faleceu vítima de problema de saúde, foi afastado do cargo. Já Geusa assumiu  como presidente da Câmara.

-Antes, Vitor Hugo já havia sido eleito como 2º vice-presidente da Câmara em eleição antecipada da Mesa Diretora. Dos eleitos na chapa, ele é o único que não foi preso na Operação Xeque Mate e, portanto, defende que na impossibilidade dos outros eleitos assumirem os postos ele deve ser empossado na Presidência da Câmara automaticamente.

-Geusa contesta a tese e alega que é preciso realizar a eleição suplementar e eleger parlamentares para os cargos vagos, ou seja, presidente, vice-presidente, primeiro e segundo secretários. Vitor Hugo continuaria como segundo vice-presidente.

Roberto Targino