Religiosidade
Bruxos de São João de Meriti são ameaçados de morte após boatos de sacrifícios de crianças

Publicado em 24/09/2018 22:58

Reprodução

"Esses bruxos passaram aqui na porta de casa dizendo que do dia 20 ao dia 25 vão pegar crianças na rua. A gente não pode pagar para ver, então avisem os familiares para ficarem atentos. Estou apavorada!". Esta é uma parte de um áudio que circula em grupos do Whatsapp em que uma mulher não identificada acusa seguidores da religião Wicca de sequestrar e sacrificar crianças para rituais satânicos em São João de Meriti, na Baixada Fluminense.

O pânico começou após um vídeo feito na madrugada dia 13 de agosto na Avenida Getúlio Moura, uma das mais movimentadas do muncípio, viralizar nas redes sociais. Nele, integrantes do grupo Tradição Athena Pronaia aparecem vestidos com capas pretas enquanto repetem a frase "Salve Hécate!" em grego. Na religião das bruxas oriunda da Europa, Hécate é a deusa dos caminhos e das encruzilhadas.

A sacerdotisa e fundadora da tradição, Alana Coelho Villar, de vermelho na filmagem, relata que ela e outros integrantes do culto vem recebendo ameaças de morte desde a veiculação do vídeo. As ameaças acontecem pela internet, por telefonemas e também pela vizinhança. Sob o risco de ser linchada, ela e o marido estão evitando sair de casa:

— Traficantes de Belford Roxo disseram que dariam tiros na minha casa — conta. Temendo consequências maiores, Alana registrou uma ocorrência sobre o caso no último dia 21 na 64ª DP da Polícia Civil, em Vilar dos Teles, São João de Meriti.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Ela explica ainda que o ritual nada tem a ver com satanismo uma vez que a imagem popularizada do diabo é de origem judaica-cristã. Na religião das bruxas wiccanas, que podem seguir vertentes gregas, celtas ou hindus, cultuam-se as forças da natureza:

— Nós não fazemos nenhum tipo de sacrifício; nem animal ou qualquer outro. Naquele dia fomos na rua de madrugada, horário onde as energias da cidade estão menos intensas, para deixarmos uma oferenda com queijos, frutas, leite e alho à deusa Hécate, na encruzilhada. Depois, voltamos para o templo.

O boato de que eles estariam envolvidos com ritos satanistas envolvendo menores ganhou ainda mais força após as imagens não-autorizadas serem compartilhadas por Netinho da UPA, candidato a vereador de Nova Iguaçu em 2016.

Na publicação com quase 3 mil visualizações, Valdir Maciel Laurindo os caracteriza os wiccanos como "seguidores de satã" e "invocadores das forças do mal". Ele admitiu não saber do que se tratava a celebração no momento da publicação, porém negou que tivesse a intenção de denegrir a religião que ali estava sendo praticada. Valdir ainda não afirmou desconhecer que houvesse um boato ligando o desaparecimento de crianças à pratica vista no vídeo, porém disse não saber se os boatos eram verdadeiros ou não:

— Não posso dizer que eles estão ou não envolvidos com isso porque são coisas ocultas. Mas, hoje, as pessoas são muito malvadas. Quando você abre o jornal, vê crianças morrendo por uma série de fatores, portanto, não posso dizer que sim ou que não.