Tecnologia
Aplicativo de transporte criado na PB alavanca viagens de mototáxis

Publicado em 16/07/2019 09:47

Reprodução

Um aplicativo para corridas de moto que foi idealizado e está em utilização no município de Cajazeiras, no Sertão da Paraíba, tem contribuído com a qualidade da prestação do serviço de transportes no município. Com um modelo operacional semelhante ao Uber e 99 (que fazem o transporte de passageiros em carros), o aplicativo Chama Moto é uma startup que vem se consolidando na cidade.

O aplicativo ainda é o único de mobilidade sobre duas rodas que tem Seguro de Acidentes Pessoais no Brasil e pode ser instalado através do Google Play Store de celulares com sistema Android. O Chama Moto foi desenvolvido para garantir conforto e segurança aos passageiros da cidade, que tem uma população estimada em mais de 60 mil habitantes, conforme o senso 2018 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

(Foto: reprodução/ aplicativo)

Ideia e processo de criação

Conforme João Paulo Freitas de Oliveira, professor, empreendedor e idealizador do projeto, o aplicativo surgiu durante uma observação dele enquanto esperava a esposa em um salão de beleza de Cajazeiras.

“Uma das mulheres tinha acabado de fazer as unhas e não queria ter que ir procurar um mototaxista na rua e por isso eu estava tentando chamar um pelo WhatsApp, mas nenhum a respondia. Como eu já conhecia o transporte feito por aplicativos em carros, eu pensei: por que não fazer um para moto?”.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Ainda de acordo com João, o segundo passo para tornar a ideia utilizável, foi levar ao presidente da Associação dos Mototaxistas e Motoqueiros de Cajazeiras (AMTMCZ), Augustinho José Diniz Filho, para saber se eles gostariam de um aplicativo para oferecer o serviço. Uma vez que a ideia foi acatada, era hora de seguir em frente.

Então João passou a analisar o mercado, já que, ao desenvolver um aplicativo, ele percebeu que teria que pensar de maneira global. Considerando o mercado brasileiro por dados do Anuário do Transporte da Confederação Nacional do Transporte, ele viu que o número de motocicletas no país cresceu expressivamente em 15 anos: 402,2%.

“O serviço é ofertado em até 90% das pequenas cidades brasileiras e em 50% das grandes cidades. A relação nas médias e pequenas cidades está de um mototaxista para cada 110 habitantes quando falamos de cidades nordestinas. Diante da oportunidade, chamei meu amigo Leonardo Cartaxo e em setembro de 2018 fundamos a Chama Moto, que é a primeira Startup do Alto Sertão da Paraíba”, explicou.

João contou que inicialmente o aplicativo contava com 10 mototaxistas e atualmente está com 40. Em 2018, foram realizadas, em média, 70 corridas por mês. Com outros ajustes necessáriosa startup foi aprovada para um programa do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae), onde teve o gatilho para o desenvolvimento. O aplicativo tem apresentado mais de 300% de crescimento ao mês, com mais de 3.500 passageiros somente em Cajazeiras.

Equipe de mototáxis que atuam por aplicativo (Foto: João Paulo/ arquivo pessoal)

Superintendência de trânsito e aprovação

Após a aprovação do sindicato dos mototáxis, João também levou a ideia para a Superintendência Cajazeirense de Transporte e Trânsito, o que, segundo o superintendente João Vitor resultou em uma Parceira Público Privada (PPP) no município.

“Toda a questão de divulgação, manutenção e promoções fica a critério do aplicativo, a gente tem a função de dar o suporte para os que estão cadastrados na superintendência. Hoje Cajazeiras tem cerca de 700 condutores cadastrados e alguns deles optaram por atuar através do Chama Moto”, afirmou.

Para o superintendente, os benefícios do aplicativo são muitos, como a comodidade da população em não precisar se deslocar para o ponto das motos, o próprio aplicativo oferecer desconto para os usuários ou funcionar 24 horas por dia, o que difere dos servidores que não utilizam o aplicativo.

Campanha do aplicativo durante o período junino (Foto: João Paulo/ arquivo pessoal)

“Além disso, a principal função é que o cliente possa pegar um profissional 100% legalizado com o órgão municipal, sem restrição, com ficha limpa e avaliada antes de se cadastrar na nossa cidade, já que em nossa cidade infelizmente tem casos de pessoas que ainda trabalham de forma clandestina”, abordou João.

Segurança

Conforme Augustinho Filho, presidente da AMTMCZ, a avaliação a ser feita do aplicativo é positiva. “Foi bom para nossa categoria, apesar de ter ainda uma parte dela que rejeita, todas têm os que concordam e os que não concordam. Acredito que essa parte que rejeita é porque ainda não compreendeu o verdadeiro funcionamento do Chama Moto, mas que bom que uma boa parte compreendeu”.

O presidente afirmou saber que o aplicativo soma em comodidade para o cliente e para o mototaxista, e ainda, principalmente, no quesito de segurança, já que ao solicitar uma moto pelo aplicativo o usuário fica com tudo registrado no celular, assim como no aparelho do condutor e ainda na central de banco de dados do aplicativo.

(Foto: reprodução/ aplicativo)

Em termos de renda, Augustinho também coloca que o Chama Moto é eficiente, uma vez que a categoria está atendendo a um o público que não fazia uso do sistema de mototáxi da cidade, mas que com o aplicativo está usufruindo e gerando novas corridas, complementando também a questão financeira dos condutores.

“Nós só pegávamos clientes conhecidos que ligavam do celular para o ponto e para o privado ou então iam direto pro ponto que a gente trabalha, mas com o aplicativo isso muda, os jovens principalmente, os estudantes, pessoas que gostam da informatização, que gostam de usar o celular, que gostam de usar coisas modernas como esses sistemas de aplicativo. Tem mototaxista que no mês está atendendo entre 200 e 250 chamadas, fora as que ele já tinha fixas ou no ponto, então ajuda no complemento da renda. O aplicativo veio só para melhorar o sistema na cidade”, afirmou.

Cliente e comodidade

Conforme a professora da rede municipal de Cajazeiras, Aureliana Tavares de Luna, de 39 anos, o aplicativo funcionar como Uber ou 99 e é algo primordial para a comodidade do dia a dia dos usuários. O que a faz dar uma avaliação positiva para o sistema operacional, já que ela utiliza o Chama Moto para alguma eventualidade quando não tem transporte particular disponível.

“É muito bom, porque quando precisamos de uma moto e usa o aplicativo a gente tem a certeza de que vai pegar uma moto cadastrada e localizada. O medo que faz é justamente pegar uma pessoa desconhecida. O aplicativo funciona como o Uber, mostra o nosso rastreamento e da moto pra gente acompanhar, mostra ainda a foto do profissional, telefone e placa do transporte, a gente sente segurança”, disse.

O futuro

Já o que se pode esperar para o futuro do Chama Moto, segundo João Paulo, é do oferecimento da comodidade sem custos em outras pequenas cidades de até 25.000 habitantes na Paraíba e expandir para as demais cidades do Nordeste, a fim de se consolidar como a maior startup do Sertão nordestino. “Pois são cidades esquecidas pelos provedores de soluções de mobilidade”, finalizou.