Tecnologia
É correto fazer a verificação do IMEI na venda e compra de celular?
Pacotão do blog Segurança Digital também responde dúvida sobre mensagem falsa no WhatsApp e invasão no Facebook.

Publicado em 20/12/2018 10:33

Reprodução

 

Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.) vá até o fim da reportagem e utilize o espaço de comentários ou envie um e-mail para g1seguranca@globomail.com. A coluna responde perguntas deixadas por leitores no pacotão, às quintas-feiras.

 

IMEI na compra de celular

 

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Li sua coluna no G1 com o título "existe alguma razão para cadastrar o IMEI do celular em uma rede Wi-Fi" e estou com uma dúvida sobre informar o número do IMEI para outra pessoa consultar. Eu anunciei no OLX um aparelho celular e uma pessoa que se interessou quer esse número para consultar. É suspeito fornecer o IMEI? — Aline

Aline, nesse caso a solicitação é até legítima. O IMEI do aparelho pode ser usado para verificar a regularidade dele em uma página da Anatel.

De todo modo, talvez seja prudente questionar o que o comprador espera fazer com o IMEI. Na dúvida, você mesma pode fazer a consulta no site da Anatel e apresentar o resultado ao comprador para lhe dar a garantia de que o aparelho está regular e não ficará inoperante em um futuro próximo.

Como a coluna já explicou em outras ocasiões, o IMEI é apenas útil para rastrear um aparelho de forma legítima, pelas autoridades competentes. Por regra, não deve ser possível que nenhuma pessoa rastreie um celular pelo IMEI. A utilização do IMEI, do ponto de vista do consumidor, é uma proteção contra roubo.

 
Em site da Anatel, consumidor pode verificar se IMEI do aparelho possui alguma restrição de uso. Para descobrir o e-mail, disque *#06# no aparelho. — Foto: Reprodução/G1

Em site da Anatel, consumidor pode verificar se IMEI do aparelho possui alguma restrição de uso. Para descobrir o e-mail, disque *#06# no aparelho. — Foto: Reprodução/G1

O que algumas pessoas mal-intencionadas poderiam fazer, em posse do seu IMEI, é denunciar falsamente que o aparelho foi roubado. Isso poderia fazer com que seu aparelho deixe de funcionar. Você teria que apresentar a documentação comprovando a compra para conseguir o desbloqueio e quem fizesse essa brincadeira de mau gosto poderia acabar respondendo por comunicação falsa de crime, já que relatou um roubo que nunca ocorreu.

 

 

Verificação de IMEI da Anatel

 

Tive um problema com um aparelho adquirido, e gostaria de saber, se o aparelho, pode ter procedência duvidosa, mesmo quando o IMEI dele consta como regular no site da Anatel. É possível que um aparelho irregular esteja com o IMEI "limpo" no site da Anatel? — Nilson

Nilson, é possível que isso ocorra se o celular teve o número de IMEI clonado de alguma forma. Porém, os números de IMEI são diferentes para cada fabricante. Existe uma alta probabilidade de que o número em questão pertenceria a um fabricante diferente.

Também é possível que o aparelho tenha sido denunciado por furto. A Anatel foi questionada se o formulário deles informa também se um IMEI está bloqueado por furto ou se informa apenas os casos de celulares sem certificação. A agência não respondeu até o fechamento deste texto.

 

Promoção falsa da Coca-Cola

 

Caí numa promoção falsa da Coca Cola. Qual risco estou correndo em relação à segurança das minhas informações no meu celular? Por exemplo meus aplicativos de banco, e-mail, etc. A página solicitou CPF, nome completo, cidade e estado de moradia. — Ruan

Esse tipo de golpe no WhatsApp não coloca em risco, em um primeiro momento, os aplicativos e dados no seu celular. O que fica exposto são exatamente os dados que você cedeu ao site fraudulento: nesse caso, CPF, nome completo, cidade e estado.

Os golpistas podem usar essas informações em outras fraudes — dependendo do caso, até em fraudes financeiras. Eles também podem registrar celulares pré-pagos em seu nome, já que isso normalmente exige apenas o CPF. Infelizmente, não há bons meios para limitar o dano que esse tipo de golpe pode causar.

 
Imagem do golpe da promoção falsa da Coca-Cola enviada pelo leitor.  — Foto: Reprodução

Imagem do golpe da promoção falsa da Coca-Cola enviada pelo leitor. — Foto: Reprodução

 

Em alguns casos, o site falso divulgado em fraudes do WhatsApp pode atacar seu roteador de internet. Porém, este não parece ter sido o caso deste golpe envolvendo a marca da Coca-Cola.

O ideal é tomar todas as medidas da prevenção para não ter o roteador atacado.

 

Acesso a mensagens no Facebook

 

Uma pessoa que tinha acesso ao meu Facebook entrou nas conversas apagadas e agora está me ameaçando publica-lás em redes sociais. Eu já troquei a senha do meu Facebook. A minha dúvida é se, mesmo eu tendo trocado a senha do Facebook (a pessoa não tem a nova), ela continua tendo acesso a todas as conversas apagadas ou ela precisa fazer login novamente? — Ademir

Ademir, suas conversas apagadas não ficariam acessíveis por alguém que entrou em seu perfil sem autorização. Isso só é possível se esse invasor acessou o perfil de outra pessoa com quem você conversou e esta pessoa não apagou as mensagens.

Por exemplos, digamos que você tenha conversa com "Pedro". Você apagou a conversa com Pedro, mas Pedro manteve as mensagens da conversa de vocês no perfil dele. Quando o invasor acessar o perfil do Pedro, ele também verá as mensagens que você apagou. Se o invasor entrar na sua conta, porém, a conversa está apagada e não será possível acessá-la.

Quanto ao acesso às mensagens antigas, uma vez que o invasor teve acesso ao seu perfil, ele pode simplesmente baixar as suas conversas. Ele não precisa acessar o seu perfil novamente. Se ele fez o download, ele só não terá acesso a qualquer mensagem enviada ou recebida após a troca da senha. As mensagens anteriores são consideradas comprometidas.

Fique atento à forma que esse invasor está ameaçando você e tente descobrir se ele realmente acessou o seu perfil e não o perfil de um ou dois amigos seus com quem você conversou. Ele pode não ter outras mensagens em mãos além daquelas que ele talvez tenha mostrado em sua ameaça.

 

O pacotão da coluna Segurança Digital vai ficando por aqui. Não se esqueça de deixar sua dúvida na área de comentários, logo abaixo, ou enviar um e-mail para g1seguranca@globomail.com. Você também pode seguir a coluna no Twitter em @g1seguranca. Até a próxima!

 
Selo Altieres Rohr — Foto: Ilustração: G1Selo Altieres Rohr — Foto: Ilustração: G1

Selo Altieres Rohr — Foto: Ilustração: G1